28 de junho de 2009

Pinacoteca do Estado e Parque da Luz.

Logo na entrada está escrito na bilheteria algo do tipo “R$ 4,00 – entrada comum” ou “R$ 2,00 – entrada estudante”. Mas isso é para aqueles que vão visitar a exposição, porém essa a taxa não é cobrada àqueles que vão passear e se aventurar na exposição durante o sábado.

A Pinacoteca é o lugar certo para as pessoas que curtem ver exposições, tomar conhecimento sobre as mais diversas culturas do Brasil e do resto do mundo e se entreter ao mesmo tempo. Mas, melhor ainda é ir acompanhada daquele amigo que “manja” tudo sobre obras dos mais renomados artistas, pois, é a maneira mais acessível de explorar o mundo artístico. E eu fui. Então, durante a 1ª visita, eu fui acompanhada da minha amiga de infância, que também é artista plástica e professora de artes, Paula Jacques Ortiz. Nesse dia, a exposição que estava hospedada, por assim dizer, na Pinacoteca era os quadros exuberantes do Palácio de Versalles. Essa visita foi, culturalmente falando, muito gratificante. Entretanto, não vou me ater somente a ela, visto que, bem como as outras duas vezes, também foi de fundamental importância.

Na segunda visita, não me recordo qual era a exposição que estava em cartaz, mas fui acompanhada de outra amiga de infância, a Miriam Naomi Nagata. Senão me engano, não havia nenhuma exposição em especifico, a Pinacoteca contava apenas com o seu próprio acervo. Recordo-me que, naquele período, o museu estava sendo organizado para uma nova exposição, o qual eu desconheço. Porém, como pode ser percebido, tirei muitas fotos tanto dentro do estabelecimento cultural quanto fora, pois, eles haviam cedido algumas estátuas para serem colocadas no Parque da Luz.

Essa é a terceira vez que visito a Pinacoteca e, assim como as demais, também foi no mês de maio. Nessa visita, fui acompanhada dos meus companheiros do grupo Up & Down Cléber Salles, Claudeci Nascimento e Huang H Yuan.

Durante a visita, percebe-se que o foco era a cultura francesa, visto que a prefeitura de São Paulo estava celebrando a vinda deles pra cá. Nessa data, havia a exposição “A procura de um olhar”, cujo intuito era fazer a amostra de diversas fotografias, e os diversos olhares dos retratados sob o ângulo dos seus autores. Em suma, havia um retrato que me chamou a atenção. Nessa fotografia percebia-se que o foco era a relação maternal entre a mãe e a sua criança. Na foto havia as duas pessoas deitadas num sofá cama, a televisão e uma cortina de lençol. Esses detalhes sugeriam uma sala de uma pessoa com baixa renda. No cotidiano, percebe-se que a televisão torna-se o centro da atenção de todas as pessoas, pois, querendo ou não, tudo gira em torno desse objeto. E nessa fotografia, essa atenção foi desfocada da televisão e focada na relação da criança com a sua mãe. Como professora, gostaria que realmente fosse assim, mas como publicitária a história seria outra, é claro!

Além dessa fotografia há também outro quadro que me deixou profundamente emocionada. Observe o toque de emoção no quadro em que o homem está morto no chão e seu cavalo está próximo. Nessa figura, parece que o cavalo sente a morte do homem e tenta acordá-lo. Essa idéia é muito presente diante da atitude do cavalo e das cores utilizadas pelo seu criador.

Há também uma estátua que faz sucesso com as visitantes e eu o chamo de meu “namorado” devido ao fato dele ser galante e estar presente nas minhas três visitas. Tiramos fotos nos três anos consecutivos, porém a primeira foto eu não publiquei visto que estava repleta de ruídos.

Como disse anteriormente, a Pinacoteca é o lugar ideal para a pessoa que quer viajar, mas não quer ir muito longe. Mas, se você puder conhecer a exposição acompanhada de um monitor é a melhor coisa que faz. Porém senão for possível, basta ler as letras impressas junto às obras, pois elas também são muito esclarecedoras.

video





"Fundada em 1905, a Pinacoteca do Estado de São Paulo é o museu de arte mais antigo da cidade e um dos mais importantes do País. Seu acervo tem cerca de 8 mil obras com ênfase na arte brasileira dos séculos XIX e XX. Apresenta 40 exposições por ano sobre as mais variadas expressões das artes visuais de artistas nacionais e internacionais e oferece atividades educativas aos mais diferentes perfis de públicos." (texto fornecido pela própria Pinacoteca).Joyce C. L. Gomes – Up & Down – 28/06/09 - UMC - Mogi das Cruzes/SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário